às 10:14:00

Acadêmica do UNIDEP tem artigo aprovado em revista da UFPB

Alana Cristina Oliveira, do 6º período de Publicidade e Propaganda, comemora aprovação de seu artigo “Uma análise da coluna “Em Sociedade”, do jornal Folha Regional: o discurso voltado à mulher pato-branquense em 1975”, na Revista Temática, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

É com muito orgulho que o Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) celebra a mais nova conquista da acadêmica Alana Cristina Oliveira, do 6º período de Publicidade e Propaganda: a aprovação de seu artigo na Revista Temática, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O artigo foi desenvolvido sob a orientação da professora do curso, Ma. Jozieli Cardenal, com o tema “Uma análise da coluna “Em Sociedade”, do jornal Folha Regional: o discurso voltado à mulher pato-branquense em 1975”.  Alana é bolsista de iniciação científica do UNIDEP, em que o artigo resulta de estudo em andamento, vinculado ao primeiro edital de fomento e oferta de bolsas de Pesquisa para docentes e discentes, publicado pela Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa, Extensão e Inovação (COPPEX) em 2019.  

Em seu projeto, Alana abordou a causa feminista, analisando quatro recortes da coluna “Em Sociedade”, publicada no antigo jornal Folha Regional. “Os recortes são datados de agosto e setembro de 1975, e o objetivo do artigo é demonstrar de que forma o discurso voltado para a mulher, por meio das publicações da coluna, reproduziu a presença feminina nos espaços sociais e profissionais. Ou seja, analisamos de que forma o que era escrito na coluna, por um homem que escrevia para mulheres, levava as leitoras a lugares de objetificação com base no gênero”, explica.  

Conforme a acadêmica, a ideia de escrever o artigo surgiu do estudo em andamento, que versa sobre o mesmo tema, cuja finalização está prevista para fevereiro de 2021. “Atualmente, sou bolsista da COPPEX e estou desenvolvendo um estudo para evidenciar a atuação das mulheres na comunicação de Pato Branco. Dessa forma, quando percebemos que tínhamos ótimos recortes e que isso poderia gerar uma publicação da pesquisa, o que a valoriza ainda mais, não pensamos duas vezes. A intenção, de início, era levar o artigo para o Intercom (congresso de Comunicação) deste ano. Porém, devido à pandemia, optamos por fazer algo diferente e tentar a submissão em uma revista, e foi incrível receber o aceite”, enfatizou.  

Alana destacou a importância da Instituição possuir um setor voltado a estimular a pesquisa acadêmica, como a COPPEX. “Enquanto Centro Universitário, acho imprescindível e fico muito feliz de poder realizar esse trabalho junto à Instituição. O potencial científico da nossa região é enorme, e ainda há muita coisa para ser estudada, analisada e descoberta. Saber que o UNIDEP incentiva e fornece os meios para que essas pesquisas aconteçam é incrível”, pontuou.   Segundo Alana, o sentimento de ter um trabalho acadêmico aceito e publicado em uma revista é de felicidade e gratidão. “É uma sensação diferente, um pouco assustadora, devido à magnitude, mas muito gratificante. Desde os primeiros períodos do curso, eu escutava que deveríamos sugar e aproveitar tudo que o Centro Universitário tinha para ofertar, expandir os limites, ir além, tentar. Quando conseguimos realizar esse tipo de coisa, não só eu, como todos os meus colegas, provamos para nós mesmos do que somos realmente capazes”, ressaltou.  

A acadêmica salientou, ainda, a relevância que a publicação deste artigo possui em sua trajetória acadêmica e profissional, e mostrou-se ansiosa para futuros desdobramentos do projeto. “Sendo comunicadora social, realizar um trabalho desse porte demonstra a importância do papel que vamos desempenhar enquanto agentes transformadores do discurso e da realidade na nossa região. Entender a história de mulheres comunicadoras, compreender o que fizeram e onde chegaram, me ajudará muito a praticar melhor a minha profissão, seja em qual área da comunicação ela for. Na trajetória acadêmica, como tenho o objetivo de fazer tanto uma pós quanto um mestrado, acho que tanto a publicação quanto a pesquisa serão primordiais para que eu já tenha uma experiência, mesmo que mínima, realizando esse tipo de trabalho. Vamos ver como serão os próximos anos, ansiedade é o que não falta”, relatou.  

A professora do curso e orientadora da acadêmica na produção do artigo, Ma. Jozieli Cardenal, evidenciou a importância de estimular a produção científica aos estudantes. “A produção científica dentro de um curso deve ser uma cultura acadêmica, em que o processo de sensibilização dos alunos perpassa por diversas etapas. São práticas em disciplinas específicas que, gradativamente, oportunizam a participação em congressos da área, bem como condicionam que, ainda na graduação, alunos tenham publicações em revistas científicas”.  

Jozieli pontua, ainda, o movimento existente no curso de Publicidade e Propaganda e no UNIDEP. “No nosso caso, isso soma-se à criação do Grupo de Estudos e Pesquisas em Comunicação, Cultura e Sociedade (Gepcom), ocorrida em 2020. A partir desse movimento, os alunos estão sendo estimulados a produzir conhecimento, sendo sensibilizados a transpor a relação entre teoria e prática, por meio da pesquisa social com caráter experimental, o que também oportuniza mudanças significativas na sociedade e, sobretudo, nos fortalece enquanto curso e área interdisciplinar”, destacou a professora.  

De acordo com Jozieli, conduzir a acadêmica no projeto reflete seu compromisso com a educação e a inovação. “A Alana foi selecionada no primeiro edital de iniciação científica da COPPEX, o que é motivo de orgulho para o curso de Publicidade e Propaganda e confirma a postura existente no UNIDEP, em prol do fomento à pesquisa acadêmica. Orientá-la, neste momento, representa a tradução da minha caminhada acadêmica e também como docente, pois o estudo que estamos realizando versa sobre temas que estudei no Mestrado e que agora estou desenvolvendo no Doutorado: análise dialógica do discurso e construção sócio-histórica de gênero. O sentimento é de realização, especialmente devido à importância da pesquisa para o contexto local”, conta.  

A coordenadora da COPPEX, professora Ma. Marielle Sandalovski Santos, enfatizou a relevância do trabalho realizado pela acadêmica Alana. “O aceite para a publicação dos resultados de uma pesquisa por um periódico com Qualis, indica o reconhecimento pela comunidade científica do altíssimo nível de qualidade da pesquisa que está sendo desenvolvida pela professora Jozieli e pela acadêmica Alana. Também é importante destacar que, geralmente, são aceitos para publicação em periódicos estratificados, resultados de pesquisas realizadas por alunos de programas stricto sensu, ou seja, de mestrado e doutorado. No nosso caso, trata-se do resultado de um projeto de pesquisa com participação de aluno de graduação”, frisou.  

“Tal fato demonstra a qualidade do ensino ofertado e a importância do investimento que o UNIDEP está realizando em Pesquisa. O artigo em foco é resultado do Projeto “Mulheres comunicadoras: uma análise diacrônica sobre o discurso social voltado para o gênero feminino a partir da atuação profissional em Pato Branco”, que foi contemplado pelo Edital de concessão de apoio à Pesquisa e Iniciação Científica publicado pela COPPEX, em novembro de 2019. Em menos de um ano de trabalho, resultados densos estão sendo apresentados. Isso nos enche de orgulho e nos mostra que fomos assertivos”, frisou Marielle.  

O coordenador de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIDEP, professor Me. Tobias Jun Shimosaka, pontua a importância da pesquisa para a formação de profissionais cada vez mais capacitados. “A pesquisa provoca uma busca por respostas novas, embasadas em um raciocínio crítico. O tripé que sustenta o ensino superior é ensino, pesquisa e extensão. A formação de um aluno não deve ser focada apenas no aspecto técnico. É importante formar um cidadão crítico, que tem suas opiniões e questiona o que se tem de informação. Nesse aspecto, a pesquisa além de contribuir para a formação técnica, também contribui para a formação desse profissional, com essas características”, concluiu.  

A Revista Temática

A Revista Temática da UFPB, em que o artigo foi aprovado para publicação na edição de dezembro, possui Qualis B4, segundo a última avaliação da Capes. Em 2021 entrará em vigor nova classificação, a qual prevê, para o periódico, o enquadramento no extrato A2. Para conhecer a revista, acesse: https://periodicos.ufpb.br/index.php/tematica.   

------------

Matéria: Karen Del Sant, acadêmica do 4º período do curso de Publicidade e Propaganda do UNIDEP

Revisão: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Fotos: Alan Winkoski, fotógrafo do UNIDEP

Contato: [email protected]  


Fonte: