às 09:42:00

Alunos monitores vivem diferentes experiências de ensino

Quem compartilha aprende mais! Estudantes dos cursos de Enfermagem, Medicina e Odontologia estão vivendo a faculdade de um jeito único: se aproximando da docência e contribuindo na formação dos colegas

No Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) alunos dos cursos de Enfermagem, Medicina e Odontologia têm a oportunidade de participarem de experiências de monitoria, atuando em disciplinas ao lado dos seus professores, que conduzem o processo de ensino-aprendizagem como preceptores, orientando os acadêmicos monitores e, ainda, os incentivando para a carreira na docência. No processo em que atuam como protagonistas, auxiliando também no aprendizado dos colegas, os estudantes desenvolvem importantes competências técnicas e interpessoais, vivenciando uma formação acadêmica integral e significativa.

A coordenadora do curso de Odontologia, professora Dra. Christiana Almeida Salvador Lima, enaltece que a monitoria permite o aprendizado horizontal entre os alunos. “O acadêmico que aprende ensinando amplia sua prática, sendo estimulado a ser docente. Isso fortalece seu espírito de liderança e suas relações interpessoais. Essas experiências também fomentam, no professor, a necessidade de ampliar seu campo de visão na percepção de atuação do monitor, estimulando ainda a pesquisa científica docente”, frisa.

Para a coordenadora do curso de Enfermagem, professora Ma. Gisele Iopp Massafera, a monitoria é essencial, pois o aluno monitor consegue atender e entender melhor os colegas em suas dificuldades. “Essa é uma das melhores formas de aprendizado, pois permite uma troca de experiências ímpar. A monitoria traz para o aluno a vivência docente, possibilita maior conhecimento e experiências na área, incentivando a busca por conhecimentos e outras práticas”, reforça.

A Pró-Reitora de Graduação do UNIDEP, professora Ma. Carla Maria Ruedell, evidencia que o Programa de Monitorias constitui-se enquanto uma das ações da IES em prol da formação plena. “Além do desenvolvimento profissional, oportunizamos uma jornada acadêmica que contempla ações de extensão, pesquisa, responsabilidade social, inovação, internacionalização, carreira, dentre tantas outras. As monitorias também representam a iniciação à docência, pois os estudantes monitores aprendem sobre o funcionamento do processo de ensino e aprendizagem em um curso de graduação, bem como têm contato com a rotina de professores universitários", enfatiza.

Para a acadêmica do 5º período do curso de Odontologia, Thaís da Cunha Silva, a monitoria tem lhe oportunizado diferentes vivências práticas e de ensino. “Consigo atuar de diferentes formas, como aluna e monitora, o que é algo que acrescenta muito na minha vida acadêmica. Agrega tanto no meu currículo quanto, especialmente, na vivência prática, pois consigo ajudar meus colegas e ainda me aproximar da docência, que é algo que também quero para o meu futuro. Por isso, sou muito grata aos professores por essa oportunidade”, conta.

Já para Luan da Silva Bilheri, acadêmico do 9º período do curso de Enfermagem, a monitoria na disciplina de Semiologia e Semiotécnicas também o aproxima do sonho de um dia ser docente. “Estou podendo viver um pouco da prática docente, contribuindo na formação de futuros colegas de profissão. Ser monitor me mostrou o quanto um professor precisa se dedicar para estar à frente de uma turma, e tem sido a melhor experiência que pude viver durante o curso”, destaca.

Luiza Menegaz, acadêmica do 3º período do curso de Medicina, atua como monitora da disciplina de Habilidades e Atitudes Médicas II. “Eu sempre tive muita vontade de ser monitora, pois poder ajudar outros colegas com o que eu já aprendi é muito valioso. Mesmo sendo uma disciplina que já estudei, consigo aprender muito, devido ao estudo constante e à troca de saberes com os colegas. Isso é muito importante, porque posso contribuir na formação de alguém e melhorar a minha também”, completa.

------------

Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Fotos: Alan Winkoski, Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: