às 15:47:00

MedLibras é reconhecido pela IFMSA-Brazil

Projeto realizado pelo curso de Medicina conquista o primeiro lugar na VI Assembleia Regional Sul da Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina (IFMSA-Brazil)

Recentemente, o curso de Medicina do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) obteve mais uma conquista: o primeiro lugar na VI Assembleia Regional Sul da Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina (IFMSA-Brazil), com o projeto MedLibras, voltado ao atendimento humanizado ofertado no Ambulatório Municipal - Unidade Escola UNIDEP à população surda de Pato Branco. O projeto é realizado pelos membros fundadores do comitê local da IFMSA e pela Coordenação do Curso, por meio do trabalho voluntário de alunos e professores.

O coordenador do curso de Medicina e voluntário no projeto, professor Me. Vilson Geraldo de Campos, aponta que a premiação ratifica o compromisso com a formação humanística do curso de Medicina do UNIDEP. “O objetivo do projeto é desenvolver o sentimento de compromisso e responsabilidade por parte dos nossos alunos com a população, garantir o acolhimento e o cumprimento dos direitos da comunidade surda. O prêmio reafirma que estamos no caminho certo da formação médica, guiando o processo de ensino-aprendizagem e fazendo diferença na vida das pessoas”, ressalta.

Hoje, o curso de Medicina do UNIDEP é filiado e possui um comitê da IFMSA. Outro detalhe: o reconhecimento do MedLibras se deu em pouco mais de dois meses de filiação. “Essa organização está em 129 países. Sua missão é reunir e capacitar acadêmicos de medicina, promovendo uma educação médica humana e ética, por meio do incentivo à pesquisa e extensão. Ao fazermos parte dela, aprofundamos nossos conhecimentos e tornarmo-nos profissionais mais qualificados e humanos. Além disso, a Federação promove intercâmbios nacionais e internacionais, que, em breve, serão acessíveis a todos os alunos do curso de Medicina do UNIDEP”, explica Alini Zandonai, acadêmica do 8º período e presidente local do Comitê.

Para Alini, o MedLibras representa a associação entre formação cidadã e médica. “A conquista na Assembleia Regional é resultado de um trabalho repleto de dedicação e de amor, que tem causado impactos muito positivos na qualidade de vida dos nossos pacientes, pelo fato de estarem, finalmente, comunicando-se com efetividade. Além disso, o prêmio é reflexo do nosso ensino humanizado e acolhedor, e de todo o apoio que recebemos da coordenação e de todo o Centro Universitário”, reforça.

Experiência para a vida

A acadêmica do 9º período e integrante da IFMSA UNIDEP, Angélica Denardi, conta como está sendo a experiência de praticar a Libras em atendimentos de saúde. “Atender pacientes surdos é um grande desafio, devido a todas as dificuldades que envolvem aprender uma nova língua, somado à responsabilidade de contribuir na saúde e melhora da qualidade de vida dessa população. Ao mesmo tempo, é extremamente gratificante atendê-los, pois nos atendimentos ganhamos histórias, bons amigos e a presenciamos o real cuidado com o paciente”, avalia.

Angélica, que está no Internato, pontua que além de tratar doenças, o projeto acalmou muitas angústias decorrentes da dificuldade de comunicação em contextos de saúde, o que é um dos principais problemas enfrentados por pessoas surdas. “Foi nesse projeto que presenciei o real cuidado por meio da comunicação efetiva e pude entender que um paciente, quando bem orientado sobre seu quadro clínico, consegue mudar hábitos de vida e torna-se o protagonista principal do seu cuidado, o que gera a melhora significativa em sua vida”, ressalta.

Diretoria da IFMSA UNIDEP

A IFMSA Brazil UNIDEP é constituída por uma diretoria local, formada pelos acadêmicos: Alini Cristini Zandonai (presidente local); Angelica Denardi (vice-presidente de Assuntos Internos); Maria Eduarda Scotti Alérico (vice-presidente de Assuntos Externos); Daiana Pit Paz (secretária geral local); Deisiane Vitor (secretária geral local); Briane Andrigo (diretora Financeira Local); Vitória Krüger (diretora local de Comunicação e Marketing); Gabriela Lucini (diretora local de Comunicação e Marketing); Joslaine SchuartzIachinski (diretora local de Pesquisa e Extensão); Maria Paula Vicari (diretora local de Educação Médica); Adolfo Berlatto (diretor local de Direitos Humanos e Paz); Marcelle Ropke (diretora local de Direitos Sexuais e Reprodutivos); Juliana Magnani (diretora local de Saúde Pública). “Todos atuam de forma voluntária, com muita dedicação e engajamento.Além disso, o comitê conta com 35 coordenadores locais, que também atuarão na promoção das atividades”, explica Joslaine SchuartzIachinski, aluna do 6º período.

------------
Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR
Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP
Fotos: Alan Winkoski, Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP
Contato: [email protected]


Fonte: