às 15:09:00

Publicidade transforma artigos científicos em vídeos e e-book

Curso de Publicidade e Propaganda do UNIDEP realiza Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) focado em uma perspectiva histórica de símbolos sociais que representam a comunicação e cidades da região

No semestre passado, o curso de Comunicação Social - Habilitação em Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) viveu mais uma disciplina de Projeto Experimental I, ministrada pelo professor Gelson Grando Barbosa e pela professora Ma. Jozieli Cardenal. O Projeto teve como foco principal o estudo da comunicação artística, política e empresarial que fazem parte da história e da cultura de Pato Branco. Como resultado, além de artigos científicos, a turma do 6o período foi responsável pela criação de vídeos documentários e manifestos, além do lançamento do e-book “O Lampião”, que pode ser acessado aqui.

Segundo a professora Jozieli Cardenal, a disciplina tem como objetivo enriquecer a formação técnica, intelectual e crítica dos acadêmicos. “As disciplinas de Projeto Experimental I e II, no curso de Publicidade e Propaganda, têm a função de trabalho de conclusão de curso. Além da parte teórica, em que cada grupo desenvolve um artigo que versa sobre temas da Comunicação Social, há também a materialização de peças ou produtos que buscam amenizar as problemáticas mobilizadas. No semestre passado, a perspectiva histórica foi um dos propósitos da disciplina ministrada no 6° período. Com isso, estabelecemos uma relação direta entre teoria e prática”, conta.

Jozieli ainda explicou de onde surgiu a ideia de transformar artigos científicos em vídeos e e-book. “Com a pandemia, associada ao distanciamento social e às aulas remotas, tivemos que priorizar formatos em que os alunos tivessem uma maior autonomia, não demandando pesquisas de campo ou visitas presenciais in loco. Por isso, os vídeos documentários ou manifestos, associados à produção de um e-book que congregasse temas de todos os grupos, foi a saída que encontramos para diversificar a disciplina, oportunizando ainda a criação de um novo periódico para o curso que sintetiza os trabalhos desenvolvidos no semestre e divulga para a comunidade os vídeos produzidos pelos alunos, que recebeu o nome de O Lampião”, pontua. 

Para a professora, o formato como foi realizado o trabalho visa aproximar os futuros publicitários da sociedade e dos problemas presentes nela. “Nosso intuito é que, cada vez mais, possamos nos aproximar da sociedade. Acreditamos que esse formato oportuniza que a pesquisa social, bem como a publicidade e propaganda, cumpre o seu papel junto ao desenvolvimento local e contribuam para o fortalecimento da profissão perante a comunidade. Isso, certamente reflete na formação e no futuro profissional dos acadêmicos”, frisa. 

De acordo com o coordenador do curso de Publicidade e Propaganda, professor Gelson Barbosa, a maneira como os alunos conduziram o trabalho superou as expectativas e, sim, O Lampião chegou para ficar. “Desde início os acadêmicos estiveram abertos para inovar diante de um cenário sensível, associando criatividade à pesquisa científica. Isso é muito rico e representa um diferencial do nosso curso, bem como da nossa área e profissão, que caracteriza-se, sobretudo, por serem interdisciplinares. Futuramente, O Lampião terá novas edições e temáticas. Essa experiência nos fortalece para desenvolver outro projeto oriundo dessas disciplinas, que é a revista científica do curso de PP, o que está em fase de diálogo e estruturação junto à coordenação e colegiado do curso”, enfatiza. 

Para o acadêmico Emanuel da Silva, responsável pela diagramação do e-book, juntamente com os alunos Luana Donel e Mairon Tochetto, o Projeto Experimental I complementa todo o aprendizado dos três anos e meio de curso e colabora para a relação interpessoal com a sociedade. “Percebi que aquilo tudo fazia parte de algo maior, uma busca de conhecimento que vai além de todo âmbito acadêmico, mas também da relação interpessoal, tanto quanto da pesquisa quanto de todos ao seu redor fazendo parte desse projeto”, destaca.

Ele conta, também, por que o grupo escolheu estudar a arte digital na composição publicitária. “Pensamos em algo que estivesse presente nas nossas vidas e que de certa forma nos inspirasse a entender um pouco melhor sobre aquilo. Falar sobre arte na composição publicitária não foi algo tão simples, pois agrega muitos aspectos tanto culturais quanto técnicos. Por fim, o resultado de toda essa busca foi incrível”, completa.

O acadêmico Mateus Mazzeti, que participou da revisão do e-book com as colegas Mylena Meloto e Natalia Festinalli, destaca qual foi sua evolução acadêmica, pessoal e profissional após toda esta pesquisa social voltada para a história e cultura de Pato Branco. “Foi um dos períodos mais importantes da faculdade, pois além de oportunizar a pesquisa acadêmica, também foi uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história do município e também de se comunicar e fazer contatos com nomes importantes da história local”, relata.

Mateus conta ainda como foi a experiência de escrever um artigo científico e transformá-lo em vídeo e e-book. “Foi uma experiência importantíssima e desafiadora para a minha vida acadêmica, pois se tratou de expandir o conhecimento adquirido na pesquisa para outros meios além de apenas um artigo. Algo totalmente intenso de se produzir, mas que valeu muito a pena entregar e ver o resultado final”, explica.

Já a acadêmica Natalia Festinalli explica um pouco sobre a relação histórica da cidade de Pato Branco com a marca local Atlas Eletrodomésticos. “Eu sempre soube que a Atlas era uma marca importante para Pato Branco. Mas não sabia que a história da própria marca se mistura com a história da cidade de forma tão profunda e essencial. Às vezes, a gente se acostuma a pensar na história como acontecimentos isolados, mas na verdade somos o que somos pelas ações das pessoas que influenciaram o meio social local no passado, e a Atlas é feita por gente que faz a diferença a cada dia”, esclarece. 

Natalia ainda conta, como o caráter sociocultural da comunicação publicitária retrata uma relação bilateral entre comunicação e cultura em sociedade, o que reforça muito a seriedade e a delicadeza com que a profissão do(a) comunicador(a) deve ser levada. “A conclusão proposta por todo o trabalho do meu grupo no Projeto Experimental I trata do caráter sociocultural da publicidade. Como eu ressaltei antes, somos as ações de quem influenciou o meio social no passado, e essa é uma característica inerente da comunicação publicitária, motivo pelo qual ela é um agente extremamente importante nas nuances da sociedade. Da mesma forma, nada na publicidade é feito sem que se considere o contexto e o público impactado, e por isso as ações e recorrências do meio social também são influenciadores na propaganda, incitando determinadas temáticas e discussões” conclui.

------------

Matéria: Julia Gabriela Oldoni, acadêmica do 5º período do curso de Publicidade e Propaganda do UNIDEP

Revisão: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: