às 18:40:00

Curso de Publicidade produz curtas-metragens sobre a pandemia

O projeto foi uma iniciativa da disciplina de Processo Criativo, ministrada no segundo semestre de 2020, em que acadêmicos dos 2º e 4º períodos produziram curtas-metragens caseiros e experimentais sobre a pandemia e a rotina a partir da quarentena

No segundo semestre de 2020, o curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) produziu curtas-metragens experimentais sobre a pandemia do Covid-19 e a rotina a partir dos efeitos da quarentena. O projeto foi realizado pelos acadêmicos dos 2º e 4º períodos, na disciplina de Processo Criativo, ministrada pela professora Ma. Jozieli Cardenal. Além disso, as disciplinas de Fotografia Experimental, do 2º período, ministrada pelo professor Gelson Grando Barbosa, e Redação Publicitária II, ministrada pelo professor João Faccio ao 4º período, também auxiliaram as turmas nas produções, tornando a atividade em um projeto interdisciplinar.

Conforme a professora e coordenadora do projeto, Ma. Jozieli Cardenal, o objetivo da atividade foi estimular a criatividade presente nos acadêmicos. “Busquei oportunizar a integração de diferentes disciplinas na realização de curtas-metragens voltados a explorar os mais variados reflexos da quarentena em nossa rotina. A proposta contemplou a produção de vídeos experimentais e caseiros, com intuito de despertar e identificar o potencial criativo dos alunos dos 2º e 4º períodos do curso”, contou.

De acordo com Jozieli, o projeto explorou os níveis de sensibilidade e criatividade dos acadêmicos, considerando o cenário mundial atual. “Foi um momento muito especial, pois tivemos cerca de 15 vídeos, todos com abordagens diferentes a partir da mesma temática, o que reforça conceitos-chave da disciplina de Processo Criativo, uma vez que o processo de criação versa sobre conhecimento, referências, experiências e bagagem. Os estudantes tiveram que produzir, roteirizar, gravar e editar – e a grande maioria fez isso tudo sem sair de casa”, ressaltou.

“Os materiais ficaram incríveis, os alunos souberam explorar diferentes possibilidades, evidenciando o papel do cinema enquanto expressão artística capaz de traduzir os nossos mais fiéis sentimentos. Sem falar que os grupos colocaram muita emoção e criatividade nos roteiros, o que tornou a atividade ainda mais especial. Para mim, essa também foi uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a percepção de cada grupo perante o momento em que estamos vivendo”, enfatizou a professora.

O olhar dos acadêmicos

O acadêmico João Vitor Franceschetto destacou que um dos principais objetivos de seu grupo foi trazer uma reflexão existencial ao projeto. “Acredito que a questão de entregar a reflexão foi uma das maiores dificuldades. Assistimos vários conteúdos que levavam a um final reflexivo, em que havia toda uma preparação de ângulo de câmera, música de fundo, empatia pelo ator e identidade do curta. Esse processo deveria ser obedecido, para assim concluir uma narrativa em que o receptor termina, para e reflete sobre aquilo”, relatou. 

João ressaltou, ainda, como o projeto contribuiu para sua evolução, proporcionando um olhar mais crítico perante as produções. “A atividade instigou minha criatividade em todos os aspectos, pois, no final de 2019, eu estava terminando o terceiro ano do ensino médio, e agora, na metade de 2020, fui apresentado a um trabalho em que tive que atuar, roteirizar e gravar, tudo em casa. Isso foi um desafio bem grande, que ajudou muito no aspecto de evolução”, salientou.

Segundo João, atividades são enriquecedoras. “Acredito que todos podem ver a teoria das coisas e como elas funcionam. Mas, colocá-las em prática, é algo extremamente desafiador, que te incentiva a gostar de determinada atividade e, assim, se especializar nela, auxiliando até na escolha da sua área de trabalho. Então, acredito que este tipo de iniciativa é algo extremamente revelador para o estudante, pois ele observa quais são as suas qualidades que podem ajudá-lo a crescer no curso, e conquistar, com total mérito, o diploma de graduação”, concluiu.

O acadêmico César Alexandre Biz, por sua vez, destacou que a maior dificuldade encontrada pelo grupo foi conciliar a distância física dos integrantes. “Na minha visão, nosso principal desafio foi encontrar uma forma com que todos do grupo pudessem participar do curta, mesmo estando em cidades diferentes, de uma forma que parecesse natural e não passasse uma impressão de um filme com várias partes diferentes, colocadas juntas sem um sentido final. Mas, após decidirmos como seria o roteiro e a gravação, conseguimos resolver esse impasse”, pontuou.

Conforme César, o projeto fez com que cada acadêmico pudesse estimular sua criatividade interior, buscando chegar a um objetivo em comum. “Conseguir produzir um curta-metragem completo, em um momento em que não podemos nos encontrar para gravar, fez com que tivéssemos que pensar em várias ideias, saindo daquelas mais genéricas e se reinventando, dentro das limitações de cada um. Foi desafiador, mas ver o resultado final, compensa”, contou.

César destacou, ainda, como projetos como esse são fundamentais para aproximar o acadêmico do ambiente de trabalho, já que têm a prática como principal objetivo. “Atividades mais práticas nos ajudam a ter uma ideia melhor de como é o ambiente de trabalho. Sair da teoria e criar um curta-metragem experimental pode servir como uma experiência para nosso futuro no mercado, o que é essencial para uma formação mais completa”, concluiu.

Para assistir aos curtas, basta acessar o canal do curso do YouTube, aqui

------------

Matéria: Karen Del Sant, acadêmica do 5º período do curso de Publicidade e Propaganda do UNIDEP

Revisão: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]

 


Fonte: