às 14:08:00

Pesquisa estuda efeitos da Equoterapia em crianças autistas

Projeto desenvolvido pela professora Luane Paula de Souza e pela acadêmica Bruna Rotava, ocorre por meio do Estágio Supervisionado em Equoterapia do curso de Fisioterapia

Entre as pesquisas acadêmicas que estão sendo desenvolvidas pelo Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP), por meio dos editais de fomento à iniciação científica da Pró-Reitoria de Pós-graduação, Pesquisa, Extensão, Inovação e Internacionalização (PROPPEXII), está o estudo “O tratamento do autismo na Equoterapia”, conduzido pela professora Luane Paula de Souza e pela acadêmica Bruna Rotava, bolsista do Programa de Bolsas para Iniciação Científica (ProBIC) do UNIDEP. O projeto, iniciado em março, atende três crianças com idades entre 2 e 7 anos, com atendimentos realizados por meio do Estágio Supervisionado em Equoterapia, do curso de Fisioterapia. 

De acordo com a professora Luane, o projeto de pesquisa também caracteriza-se pela sua conexão com o ensino e a extensão, uma vez que contempla o processo formativo em Fisioterapia e contribui com a sociedade. “O projeto busca verificar os efeitos que a Equoterapia pode gerar em crianças com diagnóstico de autismo. Sabe-se que crianças que apresentam Transtorno do Espectro Autista (TEA) possuem algumas dificuldades na socialização, bem como alterações comportamentais que podem manifestar dificuldade na área motora. O cavalo, juntamente com a assistência da Fisioterapia, tem se mostrado um grande aliado na busca pela melhora da qualidade de vida das crianças com TEA”, conta.

Para ela, a experiência tem contribuído na formação acadêmica da estudante, bem como na sua atuação enquanto docente e pesquisadora. “A participação ativa da Bruna me enche de orgulho, pois é notável o seu empenho em estar presente e sempre interessada em aprender mais a respeito da problemática envolvida. A sensação é a de ver uma semente plantada no decorrer do curso, por meio de disciplinas teóricas, seguidas de práticas de estágios, germinar numa grande árvore que gerará frutos que vão além da publicação científica e culminarão em mudanças significativas nos envolvidos e na comunidade”, ressalta Luane.

A professora conta, ainda, que o projeto também contempla o Trabalho de Conclusão de Curso de Bruna. “O edital de pesquisa da PROPPEXII é um importante estímulo, tanto para o professor, que tem seu anseio acadêmico consolidado e valorizado, ao ter sua pesquisa de campo concretizada, assim como para a aluna, que tem a confirmação de suas potencialidades e habilidades”, enaltece Luane, que é docente dos cursos de Fisioterapia e Estética e Cosmética do UNIDEP.

A coordenadora de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIDEP, professora Ma. Graciela Caroline Gregolin, avalia que a pesquisa conduzida por Luane e Bruna aborda uma temática muito importante para a comunidade acadêmica e científica. “O tema de pesquisa da professora Luane reafirma o propósito da PROPPEXII e do UNIDEP em desenvolver pesquisas que atendam necessidades sociais emergentes e, neste caso, a temática contempla diferentes linhas de pesquisa institucionais, perpassando pela saúde, acessibilidade e diversidade”, completa.

Estágio em Equoterapia

O estágio em Equoterapia do UNIDEP acontece há 12 anos, em que as sessões ocorrem em horário convencional de estágio dos alunos do curso de Fisioterapia, contando com a supervisão de uma professora, bem como com a presença de um auxiliar guia na condução do cavalo. Os atendimentos ocorrem no Parque de Exposições, em concordância com a Sociedade Rural e Núcleo de Criadores de Cavalo Crioulo.  Para viabilidade dos atendimentos em Equoterapia, há a parceria com a Cabanha Porá e com a Associação Iguais nas Diferenças, que cedem os cavalos e os auxiliares guia.

------------

Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Fotos: Alan Winkoski, Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: