às 22:39:00

Pesquisa aborda o caráter cidadão do transporte público

Estudo realizado pela professora Dra. Eucléia Gonçalves dos Santos e pelo acadêmico do curso de Direito, João André Gondaki, abordou o acesso ao transporte público em Pato Branco (PR), associando direito e cidadania

Entre as pesquisas acadêmicas realizadas recentemente pelo Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP), por meio dos editais de fomento à iniciação científica da Pró-Reitoria de Pós-graduação, Pesquisa, Extensão, Inovação e Internacionalização (PROPPEXII), está o trabalho “Ir, vir, permanecer: o direito ao transporte no Município de Pato Branco (PR)”, desenvolvido pela professora Dra. Eucléia Gonçalves dos Santos e pelo acadêmico do curso de Direito, João André Gondaki.

A pesquisa demonstrou que o transporte público é um direito, uma vez que oportuniza o acesso a serviços e experiências que, por sua vez, também são direitos sociais e de cidadania. “A pesquisa voltou-se para analisar a legislação em Pato Branco sobre o tema. Também aplicamos um questionário junto aos usuários do transporte de modo a fazer um comparativo entre lei positivada e aplicação social. Tivemos o intuito de entender a relação entre a lei e a realidade vivida pelos cidadãos pato-branquenses que fazem uso do transporte público na cidade”, conta Eucléia.

Para ela, a importância do tema refere-se à investigação da prática do direito e da formação da cidadania. “Trata-se de uma abordagem tanto jurídica quanto sociológica, na medida em que percebemos quais são os grupos que mais sofrem quando um direito não é colocado em prática ou quando há limitações na efetivação real dos direitos. No decorrer da pesquisa conseguimos compreender a carência de itinerários de ônibus e de horários de transporte”, pontua.

A professora ressalta que, por meio da pesquisa, é possível relacionar teoria e prática. “É muito motivador perceber que é possível testar ideias por meio da intervenção científica, ampliar os olhares e mostrar que um Centro Universitário está diretamente relacionado com a vida prática de todos os membros da comunidade. Os professores sentem-se instigados a pôr em prática suas ideias e conhecimentos, a observar a realidade de maneira mais metódica e os acadêmicos têm percebido que a Instituição também é produtora de saberes”, diz.

O projeto rendeu publicações científicas, participações em eventos de diferentes instituições de ensino e será apresentado no XIX ENANPUR - Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. “Poder acompanhar o desenvolvimento da escrita, as descobertas, as dúvidas, indicar caminhos e compartilhar experiências com nossos acadêmicos é, sem dúvida, um dos momentos mais gratificantes do processo de construção da pesquisa”, ressalta a docente.

A coordenadora de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIDEP, professora Ma. Graciela Caroline Gregolin, avalia que a pesquisa alinha-se a uma importante linha de pesquisa institucional: Direitos Humanos, Democracia e Cidadania. “O estudo trouxe à tona, ainda, os impactos da pandemia de Covid-19 na garantia e/ou acesso a direitos fundamentais, sobretudo o direito de transporte ou, como a própria pesquisa aponta, o direito de ir e vir. Pesquisas como esta proporcionam ao acadêmico refletir e compreender a interface entre as distintas áreas do conhecimento, reafirmando a necessidade de atuação interdisciplinar na carreira acadêmica e profissional”, completa.

------------

Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Foto: Alan Winkoski, Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: