às 20:54:00

NPJ promove intensivo para atendimentos das Varas Cível e de Família

O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) realizou nesta terça e quarta-feira, dias 25 e 26 de maio, um ciclo intensivo de atendimentos à comunidade, voltado a demandas de competência das Varas Cível e de Família. Os atendimentos ocorreram por meio de convênios com as Secretarias Municipais de Assistência Social das cidades de Pato Branco, Vitorino e Bom Sucesso do Sul. Atuaram acadêmicos do sétimo período do curso de Direito, por meio de orientação e supervisão docente. 

De acordo com a coordenadora do NPJ, professora Ma. Anelícia Verônica Bombana Consoli, 20 atendimentos foram realizados nos dois dias. Os mesmos ocorreram com agendamento prévio e sem tumultos. Por serem gratuitos, confirmam o compromisso da IES com o desenvolvimento social no que se refere ao acesso à justiça de qualidade. A atividade marcou, ainda, o encerramento das práticas de estágio supervisionado neste semestre letivo.

“Quando pensamos nessa atividade, priorizamos as experiências de aprendizagem dos nossos alunos. Enfrentamos um ano de pandemia, com momentos remotos, em que a vontade do retornar ao presencial com segurança, oportunizando ao acadêmico o contato com a prática em situações próximas à realidade da profissão, passou a ser a nossa prioridade. Embora o estágio tenha transcorrido no formato on-line, temos uma estrutura física modelo, o que oportuniza ao acadêmico o retorno seguro para o contato presencial com o público atendido”, ressalta Anelícia.

Segundo ela, os acadêmicos do sétimo período do curso de Direito vivem o primeiro estágio supervisionado no NPJ. Neste semestre, a turma foi dividida em duas modalidades: uma parte dos alunos realizou as atividades práticas reais e, os demais, contemplaram a prática simulada. “Os dois grupos se envolveram no intensivo, alguns acadêmicos realizando os atendimentos e os demais sendo responsáveis pela confecção das petições”, conta Anelícia.

A professora enaltece, ainda, que os casos atendidos durante o intensivo representam o trabalho social realizado pelo NPJ. “Atendemos famílias e pessoas carentes, que não têm condições de contratar um advogado particular. Assim, por meio do estágio supervisionado, entregamos à sociedade soluções que, em grande parte, são pacíficas. Sabemos que se não fosse essa assistência gratuita, muitas pessoas não teriam esse acesso à justiça”, ressalta Anelícia, lembrando que somente nos quatro primeiros meses do ano, 98 novas demandas chegaram ao NPJ.

------------

Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Fotos: Alan Winkoski, Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: