às 17:23:00

Acadêmico de PP participa de exposição urbana de Belém do Pará

O acadêmico do sétimo período do curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP), Emanuel da Silva, teve sua arte projetada em uma exposição urbana realizada em Belém do Pará, no início do mês de março. A iniciativa é do projeto Mostra Tua Arte, um financiamento coletivo inserido no Apoia.se.

O Mostra Tua Arte é organizado pelo paraense Kauê Lima, que incentiva o uso da tecnologia de projeção mapeada para reunir artistas de diferentes regiões do país e ainda levar arte às noites de Belém, dando um novo significado a manifestações artísticas diversas, especialmente durante a pandemia.

A distância entre Pato Branco e Belém do Pará ultrapassa os 3 mil quilômetros. Porém, quando o assunto é arte digital, redes sociais e velocidade da informação, essas barreiras deixam de existir. “Eu cheguei aos organizadores pelo Instagram. Após uma simbólica contribuição em dinheiro, o Kauê projeta os trabalhos em um prédio da cidade, fotografa e divulga, impulsionando o reconhecimento aos artistas. Participar desse coletivo é um sentimento de evolução e muita felicidade. Me sinto realizado, pois foi um longo caminho percorrido até aqui e acredito que ainda tem muito mais para vir por aí”, conta Emanuel.

Ele, que é designer e atua na área, encontrou na arte digital uma forma de expressar seu talento e veia artística. Como técnica, Emanuel reúne e ressignifica diferentes referências, num processo que podemos denominar de bricolagem e/ou colagem. “Aos poucos estou tentando transformar a arte como minha principal profissão, tenho referências como Marcos Coelho, artista digital gaúcho, gosto também do estilo do artista chamado Cristher, e também gosto de buscar as referências florais em Van Gogh”, pontua.

Emanuel divulga seus trabalhos no perfil do Instagram @_emanuel.art e conta que a faculdade também contribuiu para esse processo de reconhecimento e valorização do seu potencial artístico. “A semiótica me levou a trabalhar as cores de um jeito diferente e abriu minha mente para a diversidade de referências. Na disciplina de criatividade, surgiu a inquietação e a provocação em divulgar meus trabalhos”, diz.

Na exposição digital urbana, Emanuel teve quatro artes projetadas. “Gostaria de falar sobre uma delas em especial, que para mim significa muito. Eu a chamo de "Apenas floresça", é uma mistura de um retrato feminino com várias flores. Nela, eu tento transmitir a ideia de que as mulheres têm esse lado parecido com flores, que florescem cada vez mais fortes perante a todo um histórico cultural de muita luta. Para mim, essa arte deu início ao meu estilo na colagem”, conclui.

------------

Matéria: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: