às 16:40:00

Egresso de Engenharia Elétrica é aprovado em Mestrado da UTFPR

Rafael Czekalski celebra a aprovação no Mestrado em Engenharia Elétrica, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

É com imenso orgulho que o Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP) comemora a mais nova conquista do egresso de Engenharia Elétrica, Rafael Czekalski: sua aprovação no Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). A linha de pesquisa em que Rafael foi aprovado é a de Sistemas e Processamento de Energia.  

Em seu projeto de pesquisa, Rafael pretende desenvolver uma análise para a verificação do efeito albedo na geração de energia fotovoltaica, para mensurar os espectrais da radiação difusa no rendimento de painéis fotovoltaicos dotados de bifacialidade. “A crescente dependência pelos combustíveis fósseis, bem como sua iminente escassez juntamente com práticas contínuas e irresponsáveis na utilização do ‘ouro negro’, despertou o interesse para pesquisa de tecnologias alternativas mais eficazes e ecologicamente sensatas para a conversão de energia”, explica.  

“Todos os dias somos bombardeados, em média, por aproximadamente 174 mil TW (terawatts) de fluxo energético proveniente da radiação solar. Toda essa energia é disponibilizada como um recurso limpo, acessível e ilimitado, podendo assim atender uma parte das demandas energéticas necessárias ao viver. Uma das formas de gerar esse potencial energético é através da conversão de energia proveniente da radiação solar (fótons), em energia elétrica através da utilização de painéis fotovoltaicos, e é justamente essa conversão ou esse melhor aproveitamento da radiação solar que instiga a pesquisa e o desenvolvimento científico que proponho”, conta.  

Rafael destacou que, durante sua graduação, ele já estudava e se aprofundava no assunto, e o curso o estimulava. “Os estudos que envolvem a geração e a conversão de energia são basilares no curso de Engenharia Elétrica, e é através deles que se desenvolve um raciocínio crítico, técnico, além de despertar o aprofundamento acadêmico. Nos estágios, congressos e grupos de estudos ofertados, temos a oportunidade de vivenciar práticas profissionais. A disciplina de oficinas integradas acompanha o aluno desde o início de sua vida acadêmica até quase sua formação, constituindo uma das mais eficazes formas de instigar o aluno à pesquisa, ao autoconhecimento e à capacidade de engendrar, criar e produzir”, enfatiza.  

Segundo o egresso, a possibilidade de realizar um mestrado é fundamental para a trajetória profissional e acadêmica, que vem sendo trabalhada desde o primeiro período da graduação. “Ao adentrar a uma nova etapa profissional é normal visualizarmos o topo e sua magnificência, o Excelsior. Entretanto, de nada serve o vislumbre, senão tivermos uma base concreta e firme, onde possamos fincar os pés e calcar degrau por degrau com humildade e gratidão, dando um passo de cada vez a caminho do topo sem nunca esquecer a base”, salienta.

Uma das dificuldades encontradas por Rafael, é conciliar a atuação profissional à carreira acadêmica. Porém, ele se mostra ansioso para essa nova fase. “As certezas e incertezas da vida acadêmica e profissional vão se desenhando à medida em que nos aprofundamos e nos dedicamos a uma causa e um propósito. Entretanto, a manutenção do viver se faz presente, e é deverasmente necessária a conciliação do profissional ao acadêmico, para a construção de uma trajetória concreta”, finaliza.  

------------

Matéria: Karen Del Sant, acadêmica do 4º período do curso de Publicidade e Propaganda do UNIDEP

Revisão: Profa. Ma. Jozieli Cardenal Suttili / Jornalista MTB 9268 – PR

Coordenadora da Agência Experimental de Comunicação do UNIDEP

Contato: [email protected]


Fonte: