Engenharia Elétrica

Apresentação

​O curso de Engenharia Elétrica foi criado em 2012, obtendo a autorização do Ministério da Educação e Cultura através da Portaria 322, de 28 de Dezembro de 2012.

O curso tem duração de cinco anos, com aulas no período noturno e carga horária total de 3660 horas e é conceituado pelo MEC com nota 4 (em uma escala de 1 a 5). A titulação conferida é a de Engenheiro Eletricista e a formação é coerente e compatível com as habilidades profissionais definidas pelo sistema CONFEA-CREA. São ofertadas 120 vagas anuais, sendo elas distribuídas em dois ingressos com 60 vagas por semestre.

O curso de Engenharia Elétrica do UNIDEP, forma profissionais preparados e capacitados para atuar com o compromisso de contribuir de forma efetiva com o desenvolvimento da sociedade, manifestando-se pela prática tecnológica, colocando-a a serviço da melhoria da qualidade de vida das pessoas.

O currículo do curso é composto por disciplinas de formação básica e de formação profissionalizante e específica, que compreendem os fundamentos específicos e tecnológicos da Engenharia. A parte específica relativa à Engenharia Elétrica é constituída por disciplinas de formação profissional que habilitam o conhecimento dos fundamentos, materiais, sistemas e processos da área. Essa estrutura também permite o desenvolvimento de atitudes e habilidades pertinentes à formação do Engenheiro Eletricista. Além de disciplinas dos núcleos básico, profissionalizante e específico, é exigida a realização de atividades complementares. Soma-se a isso a carga horária de 250 horas de estágio supervisionado.​

Perfil Profissional

O perfil profissional do egresso engenheiro eletricista do UNIDEP expressa, com fidelidade, as competências preconizadas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Engenharia (DCNs).

O mercado de trabalho exige que o engenheiro eletricista possua uma formação de cunho generalista com sólida formação básica e humanista, capaz de se adaptar às mudanças sócio-econômicas e tecnológicas, gerando métodos ou produtos que satisfaçam as novas mudanças.

A estrutura curricular para o Curso de Engenharia Elétrica foi construída de modo que o futuro egresso tenha o seguinte perfil profissional:

a) Formação sólida nas disciplinas básicas, garantindo que o profissional, depois de formado, tenha facilidade de acompanhar a evolução tecnológica.
b) Bom conhecimento na área de informática, ministrada já no início do curso, para que possa ser utilizada como ferramenta em todas as disciplinas.
c) Uma formação humanística para que o futuro profissional venha a ter um bom desempenho no relacionamento humano no trabalho, e que venha a tornar-se um engenheiro consciente de seu papel dentro da comunidade.
d) Um profissional com embasamento nos diversos conhecimentos que caracterizam o engenheiro nesta especialidade, proporcionado pelas disciplinas dos núcleos básico, específico e profissionalizante.
e) Uma visão global e interdisciplinar proporcionada pelo projeto de final de curso, no qual ele aplicará os conhecimentos adquiridos nas diversas disciplinas.
f) Uma visão real de sua vida profissional, proporcionada pelo Estágio Supervisionado com 250 horas.
g) Um bom desempenho nas aplicações práticas de sua vida profissional, resultante do grande número de aulas de laboratório desenvolvidas durante o curso.
h) A visão da excelência em todas as suas ações, resultante de um trabalho desenvolvido em praticamente todas as disciplinas do curso, principalmente as profissionalizantes.
i) A capacidade de buscar solução de problemas, de ser criativo e inovador, desenvolvida em sala de aula por uma nova postura do professor “como orientador”, que conduz o aluno desde o início de seu curso a buscar soluções por si próprio.
j) Capacidade de comunicação oral e escrita, desenvolvida nas diversas disciplinas do curso.

Mercado de Trabalho

Com o desenvolvimento, de qualquer país, são os engenheiros os profissionais de maior responsabilidade pela infraestrutura deste desenvolvimento, projetando adequadamente as estruturas, seja qual for o segmento, para este crescimento. Logo, o mercado está sempre a procura de bons engenheiros nas mais diversas modalidades. É aí que entram os engenheiros eletricistas.

O mercado para esta profissão é promissor, com atuação em diversas áreas: construtoras, indústrias de automação, telecomunicações, usinas, linhas de transmissão, etc. Além disso, o interesse pelos conceitos de sustentabilidade e economia de recursos faz com que a carreira de engenheiro elétrico seja muito requisitada no futuro, a curto prazo. Outras áreas de destaque para o engenheiro são as de consultoria para a melhoria de processos, como projetos de redução de consumo enérgico, entre outros e a área da docência. Muitos engenheiros têm se empenhado como pesquisadores a fim de descobrir novas formas de melhor utilizar a energia elétrica.

Em geral o salário médio de um engenheiro no início de carreira fica em torno de 4 mil reais podendo chegar a 35 mil reais no auge de sua experiência.

O Engenheiro Eletricista pode atuar em empresas ou indústrias que fabricam ou usam equipamentos elétricos e sistemas de automação, entre elas concessionárias de energia elétrica, construtoras, fabricantes de sistemas elétricos e aparelhos eletrônicos, prestadora de serviços de telecomunicações, empresas com linhas de montagem e outras. O engenheiro eletricista pode atuar ainda em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e novas tecnologias, lecionar em universidades, prestar consultoria e desenvolver atividades de gerenciamento. Muitos engenheiros atuam também no mercado financeiro, devido a sua facilidade em trabalhar com cálculos.

Mensalidade

2020

Integralização  Turno  Mensalidade  C/ Bolsa UNIDEP
 5 anos  Noturno  R$ 1.613,04  R$ 1.129,13

2019

Integralização  Turno  Mensalidade  C/ Bolsa UNIDEP
 5 anos  Noturno  R$ 1.551,00 R$ 1.085,70

Informações

Coordenação
Prof. Me. Ricardo Bertoncello

Regime
Semestral

Turno
Noturno

Integralização
5 anos


Atividades Complementares